Há novos Google Glass, diz o Wall Street Journal. O novo modelo dos óculos de realidade aumentada da Google tem um pequeno visor ótico na lente direita e permite gravar vídeos em alta definição (HD). E destina-se a negócios na área dos cuidados de saúde, indústria e energia, segundo o que fontes próximas da Google avançaram à publicação norte-americana.

O modelo é semelhante à primeira versão, mas sem a armação em metal. Em vez disso, o visor inteligente tem uma dobradiça para que possa ser adaptado a óculos diferentes.

Apesar das novidades, a Google não está a planear lançar este modelo para o consumidor final – vai apenas vendê-lo a empresas e está a distribuí-lo a programadores que criem programas para as várias indústrias. O objetivo é que os óculos estejam prontos para serem vendidos no outono, mas a marca não está a pensar em lançá-lo oficialmente.

A primeira versão dos Google Glass foi retirada do mercado em janeiro e a Google chegou mesmo a dizer que tinha posto os óculos à venda sem que estivessem prontos. Em outubro do ano passado, duas empresas norte-americanas – que em conjunto detêm cerca de 32 mil cinemas – proibiram a utilização de aparelhos “usáveis” que possam gravar vídeo dentro das salas. O que inclui os Google Glass.

As pessoas próximas deste processo disseram ao Wall Street Journal que a Google permanece empenhada em lançar um novo modelo, direcionado aos consumidores finais. O objetivo é que seja utilizado em locais de trabalho privados e já se sabem algumas novidades: é composto por um processador Intel mais rápido, aumentou o tempo de vida útil da bateria para duas horas e melhorou a ligação wi-fi. Além disso, vem com um pack de bateria que a Google desenvolveu especificamente para se ligar magneticamente ao aparelho