Entre 20% e 60% do capital da empresa de concessões rodoviárias Ascendi foi posto à venda. Os dois acionistas – a Mota-Engil e o Novo Banco, que recebeu a participação do Banco Espírito Santo – já mandataram o banco de investimento BESI para gerir a operação, com a instrução de que nenhum dos investidores que vierem a comprar parte do capital da Ascendi poderá ficar com maioria do capital.

O Jornal de Negócios noticia esta sexta-feira que em setembro já deverá haver uma lista preliminar de interessados na Ascendi, que além das concessões portuguesas tem ativos em Espanha, Brasil, México e Moçambique. Os 60% deverão ser vendidos em, pelo menos, dois blocos para obrigar a que nenhum possa ficar numa posição de controlo na empresa.

Os analistas do BPI avaliaram, recentemente, a totalidade do capital da Ascendi em 622 milhões de euros.