A prisão militar norte-americana de Guantánamo deverá ser fechada antes de o Presidente Barack Obama terminar o seu mandato, disse o responsável do Pentágono. O mandato do 44º Presidente dos EUA termina a 20 de janeiro de 2017 — altura em que vai dar lugar ao vencedor das eleições de 8 de novembro de 2016.

Segundo Ashton Carter, a instalação é um “grito de guerra para a propaganda ‘jihadista’” para além de exigir elevados investimentos.

O responsável do Pentágono acrescentou que o Departamento de Defesa procura um estabelecimento prisional alternativo para deter os condenados.

As prisões Fort Leavenworth, no Kansas, a Navy Brig, em Charleston, na Carolina do Sul, são as possíveis escolhas, mas Ashton Carter adiantou que nas próximas semanas serão ainda avaliadas mais algumas cadeias.

As transferências dos prisioneiros para outros estabelecimentos do país podem ser consideradas como controversos sob o ponto de vista do Congresso.

Contudo, Carter afirmou que o seu departamento está a trabalhar na elaboração de um plano para dar a conhecer aos legisladores os benefícios da mudança.

“A nossa responsabilidade é fornecer um plano que eles [do Congresso] consideram responsável para que possam tomar uma decisão”, disse.

A decisão de encerrar as portas da prisão foi uma promessa de Barack Obama, que tem como prazo-limite o término do seu mandato.