Rádio Observador

Bolsa

Bolsas europeias abrem positivas, Lisboa a subir

Depois da pior sessão desde 2008, Lisboa abre a subir 1,22%, com PSI 20 a disparar para os 3% numa hora. Lisboa acompanha a Europa, que segue toda no verde. Xangai volta a fechar com fortes perdas.

MAURICIO LIMA/EPA

Depois do terramoto de segunda-feira, com epicentro em Xangai, a bolsa de Lisboa abriu hoje em terreno positivo, com o PSI 20, o principal índice da praça lisboeta, a subir 1,22%, para os 5.042,12 pontos. Menos de uma hora depois da abertura da sessão a tendência era de subida, estando o PSI 20 a registar ganhos de 3%. Lisboa acompanha o rumo da Europa, que acordou esta terça-feira toda no verde, a negociar com ganhos.

Depois de terem recuado drasticamente na segunda-feira negra, o Banif, a Pharol, a EDP e a Galp lideram hoje as ações da bolsa de Lisboa.

Perto das 8h30, das 18 empresas cotadas, 14 subiam, três caíam e uma mantinha-se inalterada, a Teixeira Duarte, nos 0,478 euros, com o índice PSI 20 a seguir em linha com o comportamento das principais praças europeias que negociavam também com ganhos.

No dia seguinte ao pânico que se instalou na bolsa de Xangai, de Hong Kong e do Médio Oriente, justificado sobretudo pelo abrandamento da economia chinesa, pela desvalorização do yuan e pela queda das matérias-primas, em particular do petróleo, a praça portuguesa está a corrigir em alta, segundo analistas citados pela agência de informação financeira Bloomberg, seguindo a evolução do resto da Europa.

As ações da do Banif subiam 3,85% para 0,0054 euros, a Pharol (antiga PT SGPS) recuperava 2,08% para 0,245 euros, a EDP valorizava 1,85% para 3,03 euros e a Galp ganhava 1,52% para 8,742 euros. Já o restante setor financeiro apresentava hoje um comportamento positivo com o BCP a subir 0,89% para 0,0568 euros e o BPI a recuperar 0,11% para 0,896 euros.

Os CTT e a retalhista Jerónimo Martins subiam, respetivamente, 1,1% e 1,02%, para 8,979 euros e 11,845 euros, pela mesma ordem. A contrariar os ganhos destaca-se a Impresa, que caía 1,43% para 0,69 euros, e a Mota-Engil, que avançava 0,66% para 1,954 unidades.

Na segunda-feira, o principal índice da bolsa de Lisboa (PSI 20) encerrou a perder 5,80%, com todas as cotadas em queda, num dia de fortes perdas nas bolsas europeias, penalizadas pela inquietação quanto ao abrandamento da economia chinesa e do crescimento mundial. O PSI20 encerrou em 4.981,26 pontos e o Banif foi o título que mais recuou (-10,34%).

Na Europa, Londres terminou ontem a sessão a perder 4,67%, Paris caiu 5,35%, Frankfurt recuou 4,70% e Madrid cedeu 5,01%, num dia negro para os mercados após a queda de 8,49% registada na bolsa de Xangai.

Europa recupera

Mas esta manhã, na abertura da sessão, todas as principais praças europeias estavam a responder positivamente, sem perdas, contrariando o encerramento em quebra dos mercados asiáticos. De Londres a Lisboa, passando por Madrid, Paris e Frankfurt, estavam todas no verde, sendo que a bolsa grega, depois da maior queda na segunda-feira, era a que mais estava a recuperar.

O índice FTSE da bolsa de Londres abriu a subir 1,49%, depois de ontem ter fechado com perdas de 4,67%, o Dax de Frankfurt registou um aumento de 1,74% (ontem fechou com prejuízos de 4,70%) e o CAC-40 de Paris abriu a subir 1,7%, revertendo algumas das pesadas perdas sofridas no dia anterior (queda de 5,35%), que alguns analistas apelidaram de “segunda-feira negra”, devido à inquietação quanto ao abrandamento da economia chinesa e do crescimento mundial.

O principal índice do mercado espanhol, o IBEX 35, subiu 1,25% na abertura da sessão, depois de registar perdas nos últimos dias. A bolsa de Milão abriu igualmente em alta, com o FTSE MIB a ganhar 2,01% para os 20,861 pontos, recuperando depois da quebra de 5,96% na véspera.

A bolsa suíça abriu a sessão de hoje a subir 1,24% nos 8.574,15 pontos, e todas as ações que integram o índice SMI dos 20 principais valores estavam em alta.

Em Moscovo, o índice de referência RTS abriu a subir 0,4%, situando-se nos 727,69 pontos.

Minutos depois de iniciadas as operações, o índice subia 1,49% relativamente ao encerramento de segunda-feira.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)