O presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, disse esta sexta-feira sentir-se culpado com a modesta despedida do guarda-redes Iker Casillas, que assinou pelo FC Porto depois de 16 temporadas na equipa principal de futebol dos madridistas.

Em 12 de julho, Casillas despediu-se com a leitura de um comunicado, em lágrimas, na sala de imprensa do Estádio Santiago Bernabéu e, apenas no dia seguinte, o clube promoveu um ato oficial, com o guarda-redes e o presidente no relvado do recinto ‘merengue’.

“A despedida de Casillas não correu bem, mas foi assim porque ele assim quis. O meu erro foi ter deixado e, por isso mesmo, falei nessa tarde com ele, que atrasou a viagem, e no dia seguinte fizemos as coisas bem e saiu com outro sabor na boca”, explicou o dirigente, em entrevista à Cadena Ser.

Na mesma ocasião, Florentino Pérez disse sentir-se “culpado” pela situação, justificando que o guarda-redes “estava numa situação emocional difícil, não queria fazer nada, pediu uma coisa e correu mal”.

“O tema Casillas deveria fazer-nos refletir, aos madridistas, porque temos de acabar com os assobios aos jogadores. Somos um clube muito influente e o que fazemos tem repercussão em todo o mundo”, referiu Pérez, assegurando ter “protegido” o guarda-redes e colaborado no seu pedido para sair do clube.

O presidente do Real Madrid confirmou que o FC Porto vai ser a equipa convidada para o Troféu Santiago Bernabéu em 2016, depois de não ter sido viável a participação da equipa lusa no jogo de agosto último.

“Temos isso acordado com o FC Porto e se nada mudar virá ao troféu, que será uma grande homenagem que não pôde ser feita este ano”, frisou.

Ainda na entrevista à Cadena Ser, Pérez admitiu ter convidado Rafa Benítez para assumir o comando técnico do clube em 2009, quando voltou à presidência, acrescentando não ter voltado a falar com o italiano Carlo Ancelotti desde o final de maio.

“Não tive dúvidas de que era preciso um novo impulso. Estamos encantados por tê-lo feito com um novo treinador. Rafa Benitez é o melhor para o Madrid neste momento, porque conhece a cultura, os valores e a casa”, sublinhou o dirigente, recordando que a primeira tentativa de contratar o técnico esbarrou na sua renovação com o Liverpool.