Os trabalhadores da TAP receberam na quarta-feira uma carta em que são alertados pelo presidente, Fernando Pinto, que as “condições especiais” que têm havido para pré-reformas irão expirar com a conclusão da privatização, que está na fase final, disse o gestor. Assim, a administração diz que vai ser lançado “de imediato” um “processo” em que os trabalhadores interessados em sair devem comunicar essa decisão às chefias. A notícia é do Jornal de Negócios.

O diário financeiro teve acesso à carta enviada por Fernando Pinto, onde o gestor alerta que as “condições especiais” que têm vigorado vão cessar automaticamente na data em que se concretizar a privatização da companhia aérea que, recorda, se está a aproximar da fase final. “Atendendo a esta realidade, os trabalhadores da TAP SA interessados em poder reformar-se antecipadamente (por acesso direto ou através de pré-reforma) podem, a partir da próxima terça-feira, tomar a iniciativa de manifestar esse interesse junto das respectivas chefias, no âmbito de processo que vai ser aberto de imediato, para que sejam avaliadas as condições para eventual concretização dessa expectativa”.

“Muito em breve, os trabalhadores interessados e que se enquadrem nessa situação, sejam convidados para contactos no sentido de serem fornecidos os esclarecimentos disponíveis”, pode ler-se, ainda, na carta a que o Negócios teve acesso.