Bárbara Vara, filha de Armando Vara, pode vir a ser constituída arguida no quadro da “operação Marquês”. Tudo porque o pai disse desconhecer a origem do milhão de euros que Joaquim Barroca transferiu para uma conta que tinha na Suíça em conjunto com a sua filha. Segundo o Correio da Manhã desta segunda-feira, ao dizer que desconhece a origem desse dinheiro, Armando Vara acaba por empurrar a filha para o centro da operação Marquês.

Bárbara Vara, empresária que trabalha com Jorge Mendes e gere a imagem de jogadores como Cristiano Ronaldo, já fora alvo de buscas e, depois destas declarações do pai, deverá agora ouvida no processo e constituída arguida, podendo mesmo ser também acusada de fraude fiscal e branqueamento de capitais.

O Ministério Público acredita que esse milhão de euros é uma contrapartida pela participação de Vara, à altura administrador da Caixa Geral de Depósitos, no processo de licenciamento e financiamento de uma expansão do empreendimento algarvio Vale do Lobo. A notícia desta suspeita já era conhecida, uma vez que esse milhão de euros foi transferido para a conta que Armando Vara partilha com a filha pelo empresário Joaquim Barroca, cuja conta na Suíça serviria de plataforma para a transferência de verbas que também terão acabado na conta de Santos Silva. Esse montante proviria de Hélder Bataglia, ligado ao empreendimento de Vale do Lobo.

O Ministério Público defende que este dinheiro é uma contrapartida pelo empréstimo de 194 milhões concedido pela Caixa Geral de Depósitos. Vara desmente, e garante que não conhece a origem do dinheiro. Para se saber, vai ter que ser a filha a explicar.

O esquema de circulação de dinheiro que envolve Joaquim Barroca será o mesmo que, de acordo com os despachos da investigação, beneficiariam José Sócrates.