A geração nascida nos EUA após o pós-Segunda Guerra Mundial, hoje idosa, ficou conhecida por baby boomers. Boa parte das pessoas que cresceram nos anos 50 e 60 cresceu apaixonada por automóveis icónicos como os Cadillac, os Lincoln e os Chevy. Quando chegou à idade adulta, essa geração fez desses carros os grandes clássicos norte-americanos. Mas uma nova geração, a que se costuma chamar millennials por ter crescido na reta final do milénio passado, começa, agora, a mostrar ter um lugar especial no coração para um outro tipo de clássicos: os carros mais icónicos dos anos 80 e 90, como os Ferrari Testarossa e os eternos Porsche 911.

Invertamos a ordem natural dos textos jornalísticos e comecemos por explicar que esta foi uma geração que cresceu a ver – e a desejar – automóveis que na década de 80 e início de 90 escapavam à carteira da maioria. Pode recordar alguns modelos na fotogaleria acima.

Três ou quatro décadas depois, são muitos destes norte-americanos que têm bons salários e, a menos que tenham herdado um velho clássico, têm menos inclinação para os modelos mais antigos. Daí que – e, agora sim, a notícia – os carros de final dos anos 80 e 90 são, agora, os modelos mais desejados nos leilões de carros usados.

A agência noticiosa Bloomberg fez uma ronda aos principais festivais de carros clássicos, onde fazem leilões, como o festival de Pebble Beach e o Monterey Car Week, onde há leilões geridos pela Bonhams. Foram, também, analisados dados sobre preços de leilões e a conclusão é simples: “Não há dúvida – os carros dos anos 80 são o segmento mais ativo neste momento, seguido pelos dos anos 90”, diz McKeel Hagerty, presidente-executivo da Hagerty, uma seguradora de carros clássicos.

“Se olharmos para os preços nos leilões e os nossos próprios dados [dos seguros], a popularidade é inegável. Esta é a nova geração”, sublinha McKeel Hagerty.

Faz parte desta nova geração? “Escolha” o seu favorito na fotogaleria acima.