Quão clara e brilhante é a lua? A resposta, para muitos, seria simples: muito. É a lua que dá claridade à noite e que se destaca do céu escuro que a envolve. Mas será mesmo essa a sua cor? Joe Hanson, um cientista americano, afirma que não, num vídeo explicativo que publicou no seu canal do Youtube “It’s okay to be smart”.

Afinal a lua não é branca, prateada ou cinzenta clara: é bem mais escura que isso. Segundo Joe Hanson, a sua cor está mais próxima de um cinzento escuro, cor do asfalto da estrada. O cientista americano usou as fotografias dos primeiros passos do homem na Lua para demonstrar isso mesmo: que a cor lunar não é bem o que parece.

376713 03: (FILE PHOTO) Astronaut Edwin E. Aldrin, Jr., the lunar module pilot of the first lunar landing mission, stands next to a United States flag July 20, 1969 during an Apollo 11 Extravehicular Activity (EVA) on the surface of the Moon. The 30th anniversary of Apollo's moon landing is celebrated July 20, 1999. (Photo by NASA/Newsmakers)

A cor da lua é afinal mais escura do que nos parece vista da Terra (Photo by NASA/Newsmakers)

Segundo Joe Hanson, “a lua cheia (…) só parece tão ofuscantemente brilhante no céu noturno porque não há nada próximo com que se possa comparar, exceto o próprio céu noturno”. E este processo dá-se porque, explica o cientista, os nossos olhos e o nosso cérebro “em vez de medirem o número exato e o comprimento de onda de fotãos dados pela lua (…) comparam [antes] as quantidades relativas de luz dadas por dois ou mais objetos dentro do nosso campo de visão”.

Segundo Hanson, “a lua só reflete cerca de 13% da luz que atinge a sua superfície”. E é mesmo essa luz que vemos que achamos ser a sua cor por contraste com a escuridão do céu que a envolve. Em suma, só é clara e brilhante por comparação com o que a escuridão que a envolve.