Nos últimos dias têm-se intensificado as questões, dúvidas e perguntas sobre o autoproclamado Estado Islâmico. Uma das primeiras que surgem é o porquê de já termos ouvido tantos nomes e siglas diferentes para referir o grupo terrorista. A principal razão para a variação de nomes tem a ver, como explica o The Economist, com a própria evolução ideológica e territorial dos jihadistas.

ISI: esta sigla em inglês significa Estado Islâmico do Iraque (Islamic State of Irak). O grupo surgiu como uma parte da al-Qaeda que lutava contra o exército americano durante a invasão ao Iraque em 2003. Mais tarde, e depois da morte do seu líder, surgiu, pela primeira vez, com identidade própria, como Estado Islâmico do Iraque. Foi o primeiro nome adotado pelos seus jihadistas.

ISISesta é um das siglas mais utilizadas pelos líderes americanos e refere-se ao Estado Islâmico do Iraque e da Síria (Islamic State of Irak and Syria). A razão para a mudança de nome foi, literalmente, o avanço territorial jihadista. Em 2013 o grupo invadiu a Síria passando controlar grande parte do seu território. Para relembrar esse facto, o nome foi alterado.

SIC: em 2014, Abu Bakr al-Baghdadi, líder do Estado Islâmico, anunciou o começo de um novo califado, com o objetivo não só de unir o Iraque e Síria num estado único, como criar um estado muçulmano universal sob a lei da Sharia. Assim, e para refletir as suas ambições, o nome foi alterado outra vez para Estado do Califado Islâmico (ou em inglês, SIC, State of the Islamic Caliphate).

ISIL: esta é talvez a sigla mais utilizada hoje em dia pelos americanos. Surgiu devido às intenções jihadistas de quebrarem as fronteiras “coloniais” passando a utilizar o termo geográfico árabe de al-Sham, que remete ou para a capital síria Damasco ou para toda a região do Levante. Assim, as autoridades americanas passaram a utilizar a sigla em inglês que significa Estado Islâmico do Iraque e do Levante (Islamic State of Irak and Levant).

Daesh: a expressão árabe para fazer referência ao Estado Islâmico do Iraque e do Levante é al-Dawla al-Islamiya fil ’Iraq wal-Sham, que pode ser abreviada para Da’ish (ou Daish ou Daesh, no alfabeto ocidental). Este nome é o mais utilizado no mundo árabe, apesar de os militantes utilizarem apenas al-Dawla, que significa simplesmente Estado. Outra das razões que leva a que muitos utilizem a expressão Daesh é o facto de os jihadistas terem ameaçado com chicotadas ou, inclusive, arrancar a língua de quem proferir esta expressão. O que irrita tanto os jihadistas não é tanto o significado da expressão mas sim porque remete para outras frases pejorativas em árabe como, por exemplo, “algo para esmagar ou pisar” e algo “que semeia a discórdia”.