O economista António Marta morreu esta segunda-feira devido a complicações de uma cirurgia ao coração. Para além do lugar de vice-governador no Banco de Portugal, foi também um figura chave na integração europeia de Portugal durante os anos 80.

António Marta foi o último presidente da Comissão de Integração Europeia. Durante o VII Governo Constitucional (1981), foi também vice-presidente da Comissão para a Integração Europeia e diretor-geral do Secretariado, integrando o grupo que preparou a adesão de Portugal à União Europeia. Entrou para a administração do Banco de Portugal em 1994, tendo saído, por motivo de reforma, em 2006. Passou ainda pelo Banco de Fomento Nacional, de que foi vice-presidente, e pelo Banco de Comércio e Indústria, no início da década de 90.

Em comunicado, o Banco de Portugal enviou as condolências à família do antigo vice-governador. Também o Presidente da República enviou as uma mensagem à família do economista, considerando António Marta um “europeísta convicto, profundo conhecedor dos assuntos comunitários”. “António Marta desempenhou um papel essencial na adesão de Portugal às Comunidades Europeias“, considerou Cavaco Silva.