Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O economista António Marta morreu esta segunda-feira devido a complicações de uma cirurgia ao coração. Para além do lugar de vice-governador no Banco de Portugal, foi também um figura chave na integração europeia de Portugal durante os anos 80.

António Marta foi o último presidente da Comissão de Integração Europeia. Durante o VII Governo Constitucional (1981), foi também vice-presidente da Comissão para a Integração Europeia e diretor-geral do Secretariado, integrando o grupo que preparou a adesão de Portugal à União Europeia. Entrou para a administração do Banco de Portugal em 1994, tendo saído, por motivo de reforma, em 2006. Passou ainda pelo Banco de Fomento Nacional, de que foi vice-presidente, e pelo Banco de Comércio e Indústria, no início da década de 90.

Em comunicado, o Banco de Portugal enviou as condolências à família do antigo vice-governador. Também o Presidente da República enviou as uma mensagem à família do economista, considerando António Marta um “europeísta convicto, profundo conhecedor dos assuntos comunitários”. “António Marta desempenhou um papel essencial na adesão de Portugal às Comunidades Europeias“, considerou Cavaco Silva.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR