Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

De modo a reforçar o seu capital, a Caixa Geral de Depósitos propôs ao Governo criar uma holding com as suas operações internacionais e vender 49% a privados. A proposta seguiu ainda no tempo de Passos Coelho e deve agora ser decidido pelo novo executivo se avança ou não com esta hipótese.

Segundo avança o Jornal de Negócios, as posições que estão a ser equacionadas para integrar esta holding são: Macau (BNU), Brasil (Banco Caixa Geral), África do Sul (Mercantil Bank), Angola (Banco Caixa Geral Totta) e Moçambique (Banco Comercial e de Investimentos).

Desde 2011 que o Estado português está impedido por Bruxelas de injetar de dinheiro na Caixa Geral de Depósitos e o banco terá de recorrer a diferentes estratégias para reforçar o seu capital.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR