“La Bella Principessa” é uma pintura atribuída a Leonardo da Vinci e retrata uma jovem mulher que pertencia, possivelmente, à corte do Duque de Milão, Ludovico Sforza, durante os anos 90 do século XV. No entanto sempre existiram algumas dúvidas sobre a verdadeira autoria da obra.

Agora um dos mais notáveis falsificadores do Reino Unido, Shuan Greenhalg, veio acrescentar mais uma versão ao reclamar a verdadeira autoria desta obra. No seu novo livro, o homem, que foi julgado a 4 anos e 8 meses de prisão em 2007 por falsificação, diz que foi ele a pintar este quadro em 1978 e que foi baseado numa assistente de uma loja local onde trabalhou: “Eu desenhei este quadro em 1978 quando trabalhei na Co-on (loja local) (…) foi baseada numa rapariga chamada Sally que trabalhava nos checkouts.”

Para além disto, Greenhalg alega ainda que utilizou um documento datado de 1587 para pintar sobre a tampa de uma mesa vitoriana tendo virado a pintura a 90º graus, enquanto desenhava, para imitar o estilo de da Vinci, diz o Telegraph.

Apesar de tudo isto, um laboratório que está a analisar a obra de arte nos últimos 2 anos, já concluiu que a pintura tem, pelo menos, 250 anos de antiguidade. Um professor da Universidade de Oxford, e especialista na obra de Leonardo da Vinci, também contraria as alegações de Greenhalg, ao afirmar que tem a certeza que a rapariga retratada é não só da corte de Sforza como sua filha ilegítima Bianca, que era casada com o patrão do génio italiano. Mais do que isso, uma anterior vendedora da peça afirmou também que o seu marido já tinha a pintura antes de se casarem em 1955.

Mas esta não é a primeira vez que a obra está envolta em polémica e dúvida. Em 1998 o quadro fez parte de um leilão da Christie’s em Nova Iorque, a proprietária da altura, Jeanne Marchig, afirmou que pensava que a peça datava do século XV e tinha origem em Itália, no entanto a leiloeira atribuiu a pintura a um alemão do século XIX tendo sido vendida por pouco mais de 20 mil euros.

Daí para cá as dúvidas sobre a verdadeira autoria da “La Bella Principessa” têm-se multiplicado. No entanto, muitos especialistas inclinam-se, atualmente, para da Vinci calculando que a obra pode chegar a valer quase 150 milhões de euros.