Uma explosão atingiu esta quarta-feira a cidade de Ancara, capital da Turquia, e terá deixado 28 mortos e 61 feridos, segundo avança o jornal The Guardian. A explosão terá acontecido próximo ao parlamento turco e a um complexo militar no centro da cidade, de acordo com a CNN. Fonte militar turca, citada pelo The Guardian, confirmou que o alvo do ataque eram veículos de transporte militar que circulavam na área durante a hora de ponta.

https://twitter.com/CNNTURK_ENG/status/700013528086925314

O governador de Ancara, Mehmet Kiliclar, afirmou que a explosão foi causada por um carro-bomba, em citação da BBC, mas o primeiro-ministro da Turquia, Ahmet Davutoglu, assegurou que a causa ainda está sob investigação.  Ainda se desconhece a autoria do ataque. 

Ancara suspeita que a explosão tenha sido levada a cabo por separatistas do PKK, Partido dos Trabalhadores do Curdistão.  O Estado Islâmico também realizou ataques no país recentemente. O ministro que tutela a área das florestas, Veysel Eroğlu, afirmou à televisão turca que há especulações de que o ataque foi realizado por “uma organização terrorista”, mas não revelou suspeitos.

O porta-voz do Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP, no poder), Omer Celik, condenou firmemente o ataque. “O terror atacou Ancara traiçoeiramente. Amaldiçoamos este ataque”, referiu, citado pelos media turcos, segundo a agência Lusa.

Testemunhas ouvidas pela BBC relatam carros incendiados e a presença de ambulâncias. As autoridades já montaram um cordão policial na área.

Circulam nas redes sociais imagens da explosão.

https://twitter.com/CNNTURK_ENG/status/699999391101362176

https://twitter.com/ELTURC_O/status/699999030978420736

https://www.youtube.com/watch?v=0QjWgYA0rSI

Ahmet Davutoglu cancelou uma viagem que faria esta quarta-feira a Bruxelas para liderar uma reunião de emergência. Ele participaria na quinta-feira na cimeira dos líderes da União Europeia centrada na crise dos refugiados.

Responsáveis do Governo, do exército e dos serviços de informações turcos reuniram-se esta quarta-feira no palácio presidencial de Ancara, na presença do chefe de Estado, Recep Tayip Erdogan, e de Davutoglu, para discutir o ataque.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR