Turquia

Explosão em Ancara. Número de mortos sobe para 37

A explosão ocorreu no centro da capital turca e provocou a morte de, pelo menos, 37 pessoas. "O nosso povo não deve preocupar-se. A luta contra o terrorismo irá ser bem sucedida", garante Erdogan.

O número de mortos causados pela explosão deste domingo no centro de Ancara, capital da Turquia, subiu para 37, declarou o ministro da Saúde turco, Mehmet Müezzinoğlu. “Perdemos três dos nossos cidadãos no hospital. Até este momento, 37 pessoas morreram neste ataque terrorista.” Entre as vítimas mortais estará um dos atacantes, disse Müezzinoğlu aos jornalistas. Pelo menos 125 pessoas ficaram feridas.

O impacto fez-se sentir por volta das 16h35 deste domingo (hora de Lisboa), perto do Parque Guven, na Avenida Ataturk, onde fica uma esquadra da polícia e um terminal de autocarros. A explosão foi causada “por um carro carregado de explosivos perto da Praça de Kizilay”, no centro de Ancara, refere a nota emitida pelo governador.

Para além do impacto inicial, foram também ouvidos disparos. O local foi evacuado pelas autoridades, que temiam um segundo ataque. Na zona existem também vários edifícios governamentais.

Dois autocarros arderam e vários carros ficaram destruídos. As imagens partilhadas nas redes sociais e divulgadas pelas televisões turcas mostram veículos carros a arder. O fumo podia ser visto a uma distância de 2,5 quilómetros, refere a Reuters. Os feridos foram levados para clínicas próximas do local da explosão.

Até ao momento, o ataque ainda não foi reivindicado. “É demasiado cedo para falar sobre os autores deste ataque. Está a decorrer uma investigação”, disse fonte da polícia local, citada pela CNN. “A nossa prioridade é tratar dos feridos.”

Partido pró-curdo condena ataque

O Partido Democrático dos Povos (HDP) emitiu um comunicado em que condena o ataque deste domingo. A força política, acusada de ser o braço armado do Partido Curdo dos Trabalhadores (PKK), disse que partilhava a “grande dor sentida pelos nossos cidadãos”, cita a Associated Press.

O Governo turco também já reagiu. Numa declaração pública, o presidente Recep Tayyip Erdogan apelou à unidade nacional e disse que a Turquia iria usar o seu direito à auto-defesa para prevenir futuros ataques. “O nosso povo não deve preocupar-se. A luta contra o terrorismo irá certamente ser bem sucedida, e os terroristas irão ajoelhar-se“, disse Erdogan. O Ministro do Interior, Efkan Alan, também condenou o ataque, dizendo que “as pessoas que o organizaram nunca serão bem-sucedidas”.

A explosão na capital turca acontece dois dias depois de o embaixador norte-americano na Turquia ter emitido um alerta sobre um “possível ataque terrorista contra os edifícios do governo turco na área de Bahcelievler”, em Ancara. “Os cidadãos norte-americanos devem evitar esta área”, refere a mensagem publicada a 11 de março.

No mês passado, um ataque bombista em Ancara provocou a morte de 28 pessoas e vários feridos. O ataque foi reivindicado por um grupo curdo sediado na Turquia. Esta é a terceira explosão na capital turca nos últimos seis meses.

Atualizado o número de mortos, às 8h48 de 14 de março

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcipriano@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)