Os partidos Democrata e Republicano realizam esta terça-feira primárias para as presidenciais norte-americanas de novembro, com o democrata Bernie Sanders a precisar de vencer para ter hipótese relativamente a Hillary Clinton, enquanto do lado republicano Donald Trump reúne favoritismo.

O Estado de Nova Iorque vai a votos para as duas primárias, processo pelo qual os membros de um partido designam os seus candidatos presidenciais.

Com 291 delegados dos quais 44 são super-delegados, Nova Iorque representa para os democratas um grande desafio, sendo o segundo Estado com mais representantes atrás do da Califórnia.

O senador do Vermont, que se diz “muito orgulhoso em ser de Nova Iorque”, acredita numa vitória depois de ter juntado milhares de pessoas – 20.000 segundo as contas de Sanders – durante um comício no Prospect Park, da sua Brooklyn natal.

Segundo as intenções de voto divulgadas pelo portal na Internet RealclearPolitics.com, Hillary Clinton, antiga senadora de Nova Iorque, lidera com 53,5% contra os 41% de Bernie Sanders.

Clinton que já conseguiu eleger cerca de 1.700 delegados nas primárias anteriores lidera com vantagem relativamente aos cerca de 1.100 delegados eleitos por Sanders.

Para se ser designado candidato presidencial pelo partido Democrata são precisos 2.383 delegados.

No lado dos Republicanos, Donald Trump está confiante, seguro de ganhar em Nova Iorque, que elege 95 delegados.

As sondagens apontam igualmente para um êxito de Trump, que tem uma intenção de voto de 52,2%. Os seus adversários, John Kasich e Ted Cruz recolhem, respetivamente, 23,2% e 17,8% das intenções de voto.

Donald Trump está no topo da corrida às primárias republicanas mas ficou, desde a vitória de Ted Cruz no Estado do Wisconsin, preocupado em não conseguir a maioria absoluta que lhe permitiria uma investidura automática do partido, para o que são necessários 1.237 delegados.

O milionário republicano acusa nomeadamente o partido de querer bloquear a sua nomeação, e denuncia a existência de regras intencionalmente deturpadas de atribuição de delegados que variam consoante o Estado.

Para travar Cruz Trump reorganizou a sua equipa de campanha e está a conseguir aparentemente controlar melhor a sua mensagem, tendo passado a falar com auxílio de apontamentos e mais contido nos ‘tweets’ que publica na sua conta da rede social Twitter.

A eleição dos delegados pelos dois partidos começou no passado dia 1 de fevereiro e acaba, no caso dos republicanos, a 7 de junho, e no dos democratas a 14 de junho.

As eleições presidenciais realizam-se no dia 8 de novembro.