O líder do PSD afirmou não ter razões para retirar aquilo que disse sobre o ministro da Educação em relação à polémica da revisão dos contratos de associação com escolas privadas, considerando ter sido “muito claro”.

“Creio que fui muito claro quando falei na semana passada e não tenho nenhuma razão para retirar aquilo que disse”, afirmou o presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, em declarações aos jornalistas à entrada da escola secundária Frei Gonçalo Azevedo, em São Domingos de Rana, no concelho de Cascais.

Questionado se estava a referir-se à Fenprof quando disse que o ministro da Educação parecia representar outros interesses que não os da comunidade em geral, Passos Coelho disse apenas que entendia ter sido claro.

“Acho que é muito claro”, sustentou.