O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou esta quinta-feira que as comunidades portuguesas são um consenso que une forças políticas, económicas e sociais e são verdadeiras embaixadoras de Portugal pelo mundo fora.

O chefe de Estado defendeu esta posição através de uma mensagem transmitida pela RTP, por ocasião das comemorações do 10 de junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que, “se há um denominador comum nas forças políticas, económicas e sociais portuguesas, esse denominador, esse consenso chama-se comunidades portuguesas”.

“Comunidades que são verdadeiras embaixadoras de Portugal por esse mundo fora, repartidas por todos os continentes. E que, com determinação, com pertinácia, com lealdade, com permanente ligação à terra mãe, projetam de geração em geração para os luso-descendentes aquilo que é fundamental na pátria que constituímos”, elogiou.

Nesta mensagem televisiva, o Presidente da República dirigiu-se aos portugueses que vivem no estrangeiro – “fora do território físico”, mas no “território espiritual” do país – e agradeceu a todos, “vivam onde viverem, façam o que fizerem, qualquer que seja a sua condição, a sua atividade, a forma como contribuam para manter Portugal vivo em todo o mundo”.

“Aquilo que representa tanto da nossa maneira de ser, a vocação ecuménica, a capacidade de nos adaptarmos a latitudes e a longitudes, de nos ajustarmos a climas, falarmos línguas, aceitarmos conviver com terras e gentes muito diversas, é isso que faz Portugal. Portugal agradece-vos pela voz do Presidente da República Portuguesa”, completou.

O Presidente da República começou por referir que 10 de junho é o dia de uma “pátria de quase nove séculos”, dia de “Camões, que cantou o passado glorioso de Portugal” e “dia das Forças Armadas, que ajudaram a construi Portugal ao longo dos séculos”.

“E finalmente, dia das comunidades portuguesas, dia daquele Portugal que vive por todo o mundo, que todos os dias cria novos portugais fora do território físico que somos, mas integrando o nosso território espiritual. A alma é a mesma, o mérito é maior”, acrescentou.

Marcelo Rebelo de Sousa iniciou esta quinta-feira de manhã as comemorações do Dia de Portugal.

No dia 10 de junho, sexta-feira, haverá uma cerimónia militar no Terreiro do Paço, em Lisboa, e depois as cerimónias prosseguem, de forma inédita, em Paris, junto da maior comunidade portuguesa no estrangeiro, onde estarão presentes o Presidente da República e o primeiro-ministro, António Costa.