O primeiro-ministro utilizou o Twitter para esclarecer a sua declaração sobre as oportunidades de emigração para os professores de português em França, dizendo ironicamente que “a estrada da Beira e a beira da estrada não são a mesma coisa” e que ele também não apelou à emigração forçada.

De modo a tentar esclarecer a polémica gerada desde o final da sua visita a França que tem levado a muitas comparações com Pedro Passos Coelho, António Costa partilhou uma ligação no seu Twitter em que se pode ler a transcrição das suas respostas aos jornalistas, em Paris. “É também uma oportunidade de trabalho para muitos professores de português que, por via das alterações demográficas, hoje não têm trabalho em Portugal e que podem encontrar aqui”, disse o primeiro-ministro comentando sobre a importância de François Hollande se ter comprometido a desenvolver o ensino de português em França.

António Costa começou a sua presença no Twitter no dia 6 de junho, tendo já desejado felicidades e sucesso à seleção portuguesa, vídeos do Conselho de Ministros, fotografias com Marcelo Rebelo de Sousa e agora um esclarecimento adicional sobre as suas declarações depois de ter sido acusado de promover a emigração dos professores.