Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Com um preço a rondar os 165 mil euros, para o mercado britânico, o Honda NSX, que ainda nem sequer iniciou a sua comercialização, tem já a produção dos próximos dois a três anos completamente vendida. Segundo revelaram fontes do fabricante à “Autocar”, a entrega das primeiras 100 unidades está prevista para o Outono deste ano ou, na pior das hipóteses, para o início de 2017. Uma vez entregue esta primeira centena de carros, só então a marca avançará para a produção dos 100 seguintes.

A mesma fonte da filial britânica da marca nipónica reconheceu ainda que poucas serão as unidades a chegar à Grã-Bretanha (e, consequentemente, também à Europa), por razões que têm a ver com o conceito de exclusividade que o veículo encerra, bem como com os valores que exige – os mais elevados alguma vez praticados por um Honda.

Em Portugal ainda não há encomendas firmes, mas refira-se que, só no Reino Unido, a marca reuniu já cerca de 100 clientes para o novo superdesportivo, que pagaram perto de 6.000€ para figurar na lista de candidatos a um dos primeiros NSX. Contudo, a Honda UK deixou já de aceitar quaisquer ordens de encomenda para este modelo.

Ainda relativamente ao NSX, o director de desenvolvimento do projecto, Nick Robinson, revelou que a versão de estrada poderá ver o seu “set-up” melhorado com os dados que vierem a ser recolhidos pela versão GT3 do NSX, entretanto desvendada nos Estados Unidos da América. Nick Robinson refere também que, no que respeita à distribuição de peso do sistema híbrido do NSX, foi igualmente importante o contributo dado pela divisão de motociclismo da marca.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR