Os três deputados do PSD Luís Montenegro, Luís Campos Ferreira e Hugo Soares garantem que foram ver os jogos de Portugal no euro 2016 “assumindo por sua conta os custos das respetivas deslocações, tendo assistido, com orgulho e emoção, a jogos da nossa seleção ao lado das mais altas figuras do Estado”.

O esclarecimento foi feito através de um comunicado assinado pelos três, em reação a uma notícia publicada na noite de quarta-feira pelo Observador, que dava conta de um convite do empresário Joaquim Oliveira, dono da Olivedesportos, aos deputados social-democratas, para que se deslocassem a Lyon e Paris para assistirem aos últimos jogos da seleção portuguesa no europeu de futebol. Os três deputados “repudiam as insinuações constantes da notícia”, afirmam que a notícia é “falsa” e que “pretende colocar os signatários no mesmo patamar legal e ético da situação noticiada, por vários órgãos de comunicação social, relativa a membros do Governo que se deslocaram a França para assistir jogos da seleção nacional com viagens oferecidas por empresas privadas que se relacionam diretamente com as respetivas tutelas e com as quais o Estado tem presentemente litígios judiciais”.

Com o comunicado divulgado ao fim do dia, os deputados pretendem pôr “cobro à inusitada especulação à volta desta matéria, não aceitando os signatários que os seus nomes sejam usados como cortinas de fumo perante questões legal e eticamente incomparáveis e inconfundíveis”.

O Observador tentou contactar, antes da publicação da notícia, todos os deputados em causa, tendo conseguido falar com Luís Campos Ferreira que se recusou a esclarecer o caso.

Também a agência de comunicação da Olivedesportos desmente a informação: “Nem a Olivedesportos nem o sr. Joaquim Oliveira em nome pessoal dirigiram convites a políticos para irem a jogos da seleção”. A Olivedesportos detém 87% da agência de viagens Cosmos, que fretou os charters que levaram as personalidades ao euro.