De armas apontadas a quem mais vende no segmento dos pequenos SUV, ou seja, o Renault Captur, o Peugeot 2008 e o Nissan Juke, a Kia tem em avançado estágio de preparação o futuro Rio SUV. Terá como base a nova geração do Rio, que será apresentada em 2017, mas será mais alto e volumoso – e necessariamente dispendioso – do que o seu irmão utilitário. Contudo, alinhará pelos veículos dominantes do segmento.

Mas a Kia chega mais tarde a este segmento, não vem de mãos a abanar. O novo crossover, ou até mesmo SUV – consoante a capacidade de andar fora de estrada que exiba, bem como a estética musculada de que dê provas –, foi “arejado” ainda antes da apresentação do Niro, tendo sido John Kim, o responsável pelos mercados da Europa ocidental, o autor da “fuga”. Kim terá afirmado numa conferência de imprensa que “a Kia irá lançar no próximo ano novos modelos, como o novo Rio, que incluirá igualmente na gama um SUV.” Obrigado Kim!

Mais alto, o que lhe permite um posto de condução sobreelevado, e mais musculado, o Rio SUV mais parece um brinquedo que todos querem possuir. Mas os argumentos de venda não se ficam por aí. É que, à estética, o pequeno SUV alia a tecnologia híbrida plug-in, devendo ser construído com base numa versão mais curta da plataforma que serve o Niro, preparada desde o início para versões eléctricas e híbridas plug-in.