Helen Skelton, jornalista na BBC, está no Rio de Janeiro como tantos outros colegas de profissão — perto de seis mil — para fazer a cobertura dos Jogos Olímpicos. Mas a jornalista tornou-se ela própria a notícia, depois de usar um vestido azul escuro, que muitos consideraram “demasiado curto”.

O caso aconteceu no sábado, durante a cobertura de uma prova de natação dos Jogos Olímpicos, mas a roupa escolhida no dia seguinte também foi alvo de reprovação. Houve quem se mostrasse chocado e garantisse que a apresentadora de 33 anos estava “sem cuecas” e outros apelidam as escolhas de vestuário de “vergonhosas” por estarem “crianças e famílias a ver” as provas.

https://twitter.com/AlfGarnettTil/status/762597924178100225

Mas houve também quem se insurgisse contra a atenção dada à roupa que a jornalista usava. Vários acusam os críticos de “sexismo” e de “machismo” e, entre uns e outros, a hashtag #HelenSkelton ganhou dimensão nas redes sociais.

Uma jornalista do Huffington Post do Reino Unido escreveu: “Se vocês estão com dificuldades em concentrar-se na prova em si por causa de um par de pernas de uma mulher, isso diz mais sobre vocês do que sobre ela”.

Outra utilizadora desmontou a polémica afirmando que o facto de ela usar um vestido curto “não afeta as suas capacidades para fazer o seu trabalho como apresentadora”. Vários utilizadores apontaram “hipocrisia” aos críticos porque os dois presentes na conversa com a jornalista também estão de calções curtos — e esses não foram referidos.

Por fim, houve quem simplesmente elogiasse e cobiçasse o sentido de estilo da jornalista.