784kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Como seria o mundo sem o Ártico?

Este artigo tem mais de 5 anos

A associação ambientalista Greenpeace lançou um vídeo onde mostra como seriam alguns locais emblemáticos do mundo se todo o gelo do Ártico derretesse.

Imagens dramatizadas do rio Tamisa (em cima) e da costa de Miami (em baixo)
i

Imagens dramatizadas do rio Tamisa (em cima) e da costa de Miami (em baixo)

GREENPEACE

Imagens dramatizadas do rio Tamisa (em cima) e da costa de Miami (em baixo)

GREENPEACE

Como seriam alguns dos monumentos e lugares mais emblemáticos do planeta se o gelo do Ártico derretesse? Foi com o objetivo de responder a esta pergunta que a associação ambientalista Greenpeace criou um vídeo que dramatiza alguns dos efeitos do degelo.

El mundo, con y sin Ártico en Videos

A Torre de Ouro de Sevilha passaria a ter vista para um desolador terreno seco e o Big Ben de Londres não estaria tão próximo do rio Tamisa, que seria uma sombra em termos de caudal do que é hoje. Os hotéis da marginal de Miami seriam fustigados pelas ondas e a Grande Muralha da China teria uma envolvente bem diferente daquela a que estamos habituados a ver.

127197_220735

Imagens de síntese que dramatizam o efeito do degelo do Ártico. Créditos: www.greenpeace.org

O vídeo faz parte integrante do relatório “O que acontece no Ártico afeta-nos a todos“, que pretende sensibilizar para a importância deste continente gelado refere o ABC que divulga a versão espanhola do vídeo (acima).

Foi também para a campanha “Vozes pelo Ártico” da associação ambientalista que o pianista italiano Ludovico Einaudi compôs uma peça em especial a que chamou “Elegia pelo Ártico” e que tocou numa plataforma no gelo Ártico.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Vivemos tempos interessantes e importantes

Se 1% dos nossos leitores assinasse o Observador, conseguiríamos aumentar ainda mais o nosso investimento no escrutínio dos poderes públicos e na capacidade de explicarmos todas as crises – as nacionais e as internacionais. Hoje como nunca é essencial apoiar o jornalismo independente para estar bem informado. Torne-se assinante a partir de 0,18€/ dia.

Ver planos