A emissora pública do Egito suspendeu oito apresentadoras de televisão por estas terem excesso de peso. De acordo com o site Al-Yawm al-Sabi, citado pela BBC, as oito mulheres receberam ordens para fazer dieta, e só poderão aparecer no ar com uma “aparência apropriada”. A história ganha outros contornos pelo facto de a emissora ser dirigida por uma mulher, Safaa Hegazy, que já foi apresentadora de televisão.

O anúncio incendiou os ânimos no país relativamente aos direitos das mulheres. O centro de aconselhamento legal para as mulheres já condenou a atitude e disse que a suspensão “viola a constituição” do país, além de ser uma forma de violência contra as mulheres. A controvérsia não fez a emissora alterar a decisão, mas a televisão pública egípcia já garantiu que os salários não serão suspensos.

Nos meios de comunicação egípcios e nas redes sociais, as opiniões dividem-se. No jornal estatal Al-Ahram, uma jornalista defendeu que a mesma política deveria ser aplicada também nas televisões regionais, e muitos utilizadores das redes sociais estão a aproveitar a ocasião para chamar às apresentadoras “bakabouzas”, uma expressão utilizada no Egito para para descrever as raparigas com excesso de peso.

Apresentadoras-Egipto-2

Duas das apresentadoras que foram suspensas da televisão pública egípcia por terem excesso de peso.

Khadija Khattab, uma das apresentadoras que foram suspensas, contou ao jornal Al Watan, da Arábia Saudita, que a situação é humilhante e escandalosa, escreve o The Independent. Khattab pediu às pessoas para verem as suas aparições televisivas e avaliarem se ela está ou não com excesso de peso. Outra das apresentadoras suspensas revelou que a situação incomodou a sua família e devia ter sido resolvida internamente.

A decisão tomada pela diretora, Safaa Hegazy, estará ligada à vontade de renovar a estação. Uma das grandes preocupações da direção é a concorrência por parte dos canais privados, com apresentadoras mais novas.

A líder da associação para o desenvolvimento e valorização das mulheres, sediada no Cairo, discorda desta decisão. “Eu concordaria com a suspensão se as apresentadoras fossem suspensas porque fizeram o seu trabalho mal, ou por aparecerem com maquilhagem excessiva”, disse a responsável, acrescentando que “não interessa se a apresentadora é gorda ou magra, desde que não use palavras erradas no ar e saiba tratar bem os convidados”.

Apenas foram removidas dos seus lugares mulheres e nenhum homem. A emissora deu às mulheres um mês para que percam peso e retomem o seu lugar nas emissões regulares.