O internacional português Madjer marcou hoje o golo 1.000 pela seleção de futebol de praia, frente a Inglaterra, no decurso da partida de apuramento para o Mundial da modalidade, a decorrer em Jesolo, na Itália.

O capitão da seleção das ‘quinas’ chegou ao histórico golo quando ampliou para 3-0, no segundo período, a vantagem da equipa orientada por de Mário Narciso, em busca da presença na fase final do Mundial, que vai decorrer em 2017, nas Bahamas.

João Vítor Tavares Saraiva, conhecido no futebol de praia por Madjer foi eleito o melhor jogador do mundo em 2015, no mesmo ano em que a seleção se sagrou em Espinho campeã do mundo.

Em declarações publicadas na página oficial na Internet da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), o autor do marco histórico no decurso do jogo de apuramento para o Mundial de 2017, nas Bahamas, disse estar a viver “uma grande alegria”.

“Foi uma grande alegria. Primeiro pela exibição e pela vitória frente a Inglaterra [8-1] e, depois, por ter atingido a marca dos mil golos”, disse o jogador o capitão de Portugal que após ter feito o 3-0 à Inglaterra viu o jogo ser interrompido para uma pequena homenagem.

Segundo a FPF, nesse instante, entrou em campo um elemento da organização com uma placa alusiva ao milésimo golo, tendo ainda sido oferecida ao jogador uma camisola com a inscrição do marco alcançado.

“Não estava à espera desta surpresa. Continuo a dizer o mesmo de sempre, sem os meus colegas, equipa técnica, ‘staff’ e parte médica nunca teria sido possível chegar aos números que cheguei”, salientou Madjer.

Convidado a recordar os golos mais marcantes, o camisola 7 de Portugal destacou o primeiro tento “frente ao Paraguai, em Janeiro de 1998”, mas a finalização de que mais gostou foi “em Espinho, frente à Suíça, no caminho para a conquista do título de Campeão Mundial, em 2015. Foram momentos marcantes”.

Esse golo marcado do meio-campo, num remate que entrou no ângulo superior direito da baliza helvética, foi, depois, eleito o melhor da competição em 2015.

Madjer reiterou que a equipa “tem de se concentrar no apuramento para o Campeonato do Mundo das Bahamas” e prometeu que “não irão facilitar”.

“Os objetivos pessoais estão sempre em segundo lugar mas chegar aos dois mil golos acho que será difícil. Mas mais alguns vou de certeza marcar!”, concluiu o autor do livre direto hoje contra a Inglaterra que entrou para a história do futebol de praia.

Com este triunfo, que manteve Portugal 100 por cento vitorioso, a equipa portuguesa, que defende o título conquistado em 2015, em Espinho, encontrará na segunda fase o 3.º classificado do Grupo A, o 2.º do Grupo D e o 1.º do Grupo G.