Vítor Escária, assessor do primeiro-ministro, também faz parte da lista de pessoas que a Galp levou a assistir aos jogos do Campeonato Europeu 2016, avança o jornal Expresso. O membro do staff de António Costa foi convidado pela empresa petrolífera a assistir ao jogo Portugal-Aústria, que aconteceu a 18 de junho em Paris.

Ao jornal, a Galp recusou-se a comentar a situação, dizendo apenas que “os convites foram endereçados a diversas pessoas de instituições com as quais a empresa se relaciona nos mais diversos quadrantes”. Já Vítor Escária limitou-se a explicar que não foi convidado na qualidade de assessor do primeiro-ministro, mas sim “a título pessoal por um amigo”, assumindo a existência do convite.

Na polémica estão envolvidos mais três secretários de Estado do Governo que, também a convite da Galp, viajaram para assistir a jogos da seleção portuguesa no Euro 2016 — Fernando Rocha Andrade, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais (de referir que o fisco tem 100 milhões em contencioso com a Galp), João Vasconcelos, secretário de Estado da Inovação, e Jorge Costa, secretário de Estado da Internacionalização.

Os governantes disseram, à data, que iam pagar todas as despesas e Augusto Santos Silva, número dois do Governo, deu o caso por encerrado, não sem antes avançar com um código de conduta. Foi também Santos Silva quem garantiu que mais nenhum membro do Governo tinha assistido a jogos do europeu através da Galp — Escária não é efetivamente um membro do Governo, mas trabalha no gabinete de António Costa.