O secretário-executivo da CPLP felicitou o antigo primeiro-ministro português António Guterres pela sua indicação para líder da ONU, manifestando confiança de que irá “dar muita atenção” aos países de língua portuguesa, “sobretudo os países africanos”.

“Não digo [que seremos] os mais queridos de todos, mas [vai] dar uma prioridade aos problemas que nós vivemos”, disse Murade Murargy, em declarações aos jornalistas à margem do seminário de comemoração dos 20 anos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), hoje na Assembleia da República, em Lisboa.

O secretário-executivo da CPLP, que até hoje não tinha querido manifestar-se sobre a indicação de Guterres por não ser ainda oficial, admitiu que o antigo primeiro-ministro está agora “praticamente eleito”, pelo que o felicitou.

“É o secretário-geral da nossa comunidade. Não se trata apenas do secretário-geral das Nações Unidas ou de Portugal, mas de toda a nossa comunidade”, afirmou.

Considerou que Guterres é “uma pessoa bem posicionada para tomar conta” da ONU, sobretudo “nesta fase de viragem, de novo século (…). É preciso novas ideias”.

Sobre o impacto para a CPLP da eleição de um cidadão de língua portuguesa como secretário-geral da ONU, Murargy disse: “Acho que ele vai dar muita atenção aos nossos países sobretudo aos países africanos, que têm muitos problemas ainda, através das várias organizações que vai controlar”.

António Guterres deverá ser confirmado na quinta-feira para o cargo de secretário-geral da ONU na Assembleia-Geral, depois de ter sido indicado pelo Conselho de Segurança, a 05 de outubro.

Guterres deverá substituir Ban Ki-moon a 1 de janeiro de 2017.