A cantora e compositora norte-americana Joan Baez, uma das mais próximas colaboradoras e antiga companheira de Bob Dylan, aplaudiu a atribuição do Nobel da Literatura ao artista, dizendo que representa um passo na direção da sua “imortalidade”.

“O Prémio Nobel da Literatura é mais um passo na direção da imortalidade de Bob Dylan”, escreveu Baez no Facebook.

“O rebelde, reclusivo, imprevisível artista/compositor é exatamente onde o Prémio Nobel da Literatura precisa de estar”, disse, após a notícia de que um artista mais conhecido pela sua música venceu o maior prémio da literatura.

Baez, que nos anos 1960 usou a sua já estabelecida reputação como cantora ‘folk’ para popularizar Dylan, disse que o seu “dom com as palavras é inultrapassável”.

“Do meu repertório ao longo de 60 anos, não há canções que tenham sido mais comoventes ou merecedoras da sua profundidade, escuridão, fúria, mistério, beleza e humor que as de Bob. Nenhuma deu mais prazer cantar. Nenhuma vai voltar a surgir”, escreveu.

Baez e Dylan tiveram um relacionamento antes de uma dolorosa separação durante uma ’tour’ em Inglaterra em 1965.

Desde então atuaram esporadicamente juntos e em 2009 Dylan ofereceu um invulgar pedido de desculpas a Baez pela forma como a tratou, através de um documentário sobre a artista.