São raros os automóveis que, hoje em dia, não recebem algumas actualizações ao longo do seu ciclo de vida. A regra é tanto mais válida quanto mais abrangente for o modelo em questão. E é claro que nem o best-seller europeu lhe consegue escapar.

Por isso, se um renovado Golf já seria, por si só, notícia, o tema ganha redobrada importância quando é a própria VW que anuncia que, neste caso, as alterações não se limitarão a um simples restyling. Pelo contrário: trata-se de uma “importante actualização”. O que faz prever mexidas em termos de estilo, mas também ao nível da mecânica (nomeadamente dos motores) e daquelas áreas hoje tão em voga no sector, como a segurança, os auxiliares de condução e a conectividade.

Como o segredo continua a ser a alma do negócio, dados concretos ainda não há. A não ser que esta profunda renovação do Golf da sétima geração está já em contagem decrescente, estando prometida a renovação do modelo já para o início de Novembro.

Para reforçar a importância deste anúncio, vale a pena recordar que o Golf, lançado há já 42 anos, é um caso único de popularidade e sucesso. Precursor do segmento dos familiares compactos, o que hoje assegura o grosso das vendas no mercado europeu, é cronicamente o automóvel mais vendido na Europa e, ao longo das suas mais de quatro décadas de existência, tem batido sucessivos recordes.

Até final de 2015, foram vendidas nada menos do que 32 590 025 unidades do Golf, registo que nenhum outro modelo europeu logrou alcançar. O que significa que, ao longo dos últimos 42 anos, em média, a cada 40 segundos foi vendido um Golf numa qualquer parte do globo. Já em 2002, as vendas do Golf alcançavam 21 517 415 unidades, batendo assim as do Beetle, o automóvel mais vendido do mundo até então. Isto depois de, 1988, ter sido superada a fasquia dos dez milhões de unidades vendidas.

Para os amantes dos números, aqui ficam outras curiosidades e recordes relativos ao best-seller germânico. Por exemplo, pouco mais de dois anos (730 dias) bastaram ser alcançado o primeiro milhão de unidades vendidas. O Golf é hoje vendido em 155 países, e produzido em cinco fábricas, distribuídas por quatro territórios: China, Brasil, Alemanha e México. Diariamente, são produzidos 2120 novos Golf. Sendo este o único automóvel do mundo proposto com cinco tipos diferentes de motorização: eléctrica, híbrida plug-in, a gasolina, a gasóleo e a gás (CNG – gás natural comprimido).

Entre tantos milhões de unidades produzidas, muitas ficaram, naturalmente, para a história. Eis alguns exemplos: O Golf GTI W12-650 , apresentado em 2007 em Wörthersee, com os seus 650 cv, é o mais potente Golf produzido até hoje. O primeiro Golf adquirido pela chanceler alemã, Angela Merkel (um exemplar da segunda geração) foi leiloado por 10 156 euros. O Golf mais caro de sempre é um Golf V, que teve como primeiro proprietário o Papa Bento XVI, e foi leiloado por 188 938 euros. Um Golf da primeira geração foi o primeiro de que há registo a cumprir, em 2003, um milhão de quilómetros.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR