Assumindo que ambas as marcas continuarão a competir no mesmo sector, e estão livres de encetar colaborações com outras empresas análogas, a Toyota e Suzuki acordaram estabelecer uma parceria que lhes permitirá explorar, conjuntamente, novas soluções nas áreas dos automóveis amigos do ambiente, da segurança e das tecnologias de informação.

Mais concretamente, o acordo tem por objectivo alavancar as competências da Suzuki no domínio dos automóveis de pequenas dimensões e baixo custo (também conhecidos por low-cost), e as da Toyota em termos de pesquisa e desenvolvimento avançados, e dos modelos de maiores dimensões. Por decidir está se esta parceria passará, ou não, por uma troca de participações entre as duas empresas.

O anúncio desta nova ligação entre os dois fabricantes nipónicos surge cerca de um ano depois de a Suzuki ter rompido os laços que a ligavam à VW. Já a Toyota tem em vigor parcerias com a Mazda e com a Fuji Heavy Industries (detentora da Subaru), para além de ter adquirido, recentemente, a totalidade do capital da Daihatsu – especialista japonês em microcarros, e com a qual a Toyota irá criar, internamente, uma nova empresa, especialmente focada no desenvolvimento de produtos destinados aos chamados mercados emergentes.

Inegável é que não haverá, hoje, construtor automóvel que não esteja especialmente preocupado com os novos desafios que se deparam a este sector. A luta pela sobrevivência está, pois, na ordem do dia, e a consolidação poderá ser uma das vias para o conseguir. Este é só o mais recente exemplo, a que há, obrigatoriamente, que juntar a aquisição de uma posição dominante na Mitsubishi por parte da Nissan.