Cinco dos seis membros do grupo que se dedicava a assaltos em residências detidos na quinta-feira ficaram esta sexta-feira em prisão preventiva, enquanto ao homem mais velho do grupo foi aplicado termo de identidade e residência, disse a PSP.

Em comunicado, o Comando Metropolitano (Cometlis) da PSP de Lisboa avançou que os seis detidos, com antecedentes criminais pela prática de diversos tipos de ilícitos, foram esta sexta-feira presentes na Instância Central, 1.ª Secção de Instrução Criminal do Tribunal da Comarca de Lisboa, para 1.º interrogatório judicial, tendo-lhes sido aplicadas as medidas de coação de termo de identidade e residência ao homem mais velho e aos restantes cinco a medida mais gravosa de prisão preventiva.

Segundo o Cometlis, na quinta-feira, pelas 07h00, foram detidos três homens e três mulheres, com idades entre os 18 e os 52 anos, por suspeita da prática dos crimes de roubo e furto qualificado. Um deles foi igualmente detido pelo crime de detenção de arma proibida.

Os ilícitos ocorreram em várias localidades do país, nomeadamente na área da grande Lisboa, bem como em Setúbal, Castelo Branco, Braga, Guimarães, Viana do Castelo, São João da Madeira, Aveiro e Coimbra.

Após investigação, a PSP apurou tratar-se de um grupo que se dedicava à prática de roubos em residências, com emprego de elevados índices de violência, visando vítimas especialmente vulneráveis, e também furtos praticados em grandes superfícies comerciais, com especial enfoque em televisões, material eletrónico, eletrodomésticos e peças de vestuário.

Foram efetuadas dez buscas domiciliárias, nomeadamente no concelho de Sintra e nas freguesias de Santa Clara, Marvila e Areeiro, em Lisboa.

Durante as buscas foram apreendidas uma espingarda de canos longos, uma arma de fogo de calibre 7,65 mm, uma arma de fogo de calibre 6,35 mm, dezenas de munições, além de 3.170 euros em numerário do Banco Central Europeu (BCE).