O BCP registou um resultado líquido negativo de 251,1 milhões de euros entre janeiro e setembro, que compara com o lucro de 264,5 milhões de euros em igual período do ano passado.

Os resultados contabilísticos foram muito afetados pelas dotações extraordinárias que fizemos para a carteira de imparidades. Trata-se de itens não habituais e não recorrentes”, salientou o presidente Nuno Amado durante na conferência de imprensa de apresentação das contas, em Oeiras.

Em causa está a contabilização de 100 milhões de imparidades de crédito adicionais no terceiro trimestre em Portugal, perfazendo um total de 400 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano.