Medicina

Direito de resposta: “Ser doutor”

1.184

A Associação Portuguesa de Cardiopneumologistas exerce o seu direito de resposta em relação ao artigo de opinião "Ser doutor", de Luís Carvalho Rodrigues

ESTELA SILVA/LUSA

Tendo em conta a notícia publicada na vossa edição de 18/09/2016 (11:38), pelo Exmo. Senhor Luís Carvalho Rodrigues, vimos pelo presente exercer o nosso direito de resposta nos seguintes termos:

A Associação Portuguesa de Cardiopneumologistas (APTEC) é a associação profissional que representa os Cardiopneumologistas a nível nacional. Estes profissionais têm como percurso académico a licenciatura em Cardiopneumologia, que atualmente encontra as suas competências atribuídas à licenciatura em Fisiologia Clínica, ambas enquadradas no ensino superior politécnico e com duração mínima de 4 anos.

Apraz-nos informar que o Cardiopneumologista se enquadra nas profissões das Tecnologias da Saúde, integrando equipas multidisciplinares, em vários domínios de intervenção a nível de diagnóstico e terapêutico, como as áreas neuro-cardiovascular, pneumologia entre outras. As competências destes encontram-se regulamentadas no domínio público, com um historial já bem longo, onde lhes é reconhecido elevado grau de autonomia, o que possibilita libertar outros profissionais para atividades diferenciadas em que há carência.

Os Cardiopneumologistas são profissionais altamente especializados nas áreas neuro-cardiovascular e pneumologia, entre outras que, realizando exames de diagnóstico e colaborando em intervenções terapêuticas, permitem uma melhor rentabilização e eficiência dos recursos humanos do sistema de saúde, dentro das competências que lhes estão cometidas.

Perante estes factos introdutórios, a APTEC vem por este meio repudiar e demonstrar admiração quanto às afirmações menos apropriadas do Exmo. Senhor Luís Carvalho Rodrigues na publicação supracitada, na seção Medicina “Ser doutor”, que passamos a citar: “… ao longo dos anos, os melhores alunos escolherem primeiro todos os cursos de medicina disponíveis e só depois os outros. Havia até quem, em desespero, tentasse primeiro todos os cursos da área de saúde, alguns tão estranhos que só os iniciados sabem o que lá se faz, como a cardiopneumologia.”

Neste sentido, gostaríamos de apresentar um convite ao Exmo. Senhor Luís Rodrigues para que, um dia, visite um serviço de cardiologia, pneumologia, imunoalergologia, neurologia, entre outros, e assim consiga tomar noção da realidade quotidiana dos Cardiopneumologistas, bem como dos desafios que enfrentam. A nossa existência é fulcral no serviço nacional de saúde e, sem o nosso trabalho, seria impensável a realização dos diferentes meios de diagnóstico e terapêutica que realizamos e, consequentemente, a realização das variadas consultas, cirurgias e tratamentos que carecem dos referidos exames.

Os cuidados de saúde beneficiam da inter-ajuda e intervenção multidisciplinar.

Pelo exposto, e sem prejuízo de outros procedimentos, solicitamos que publiquem o presente esclarecimento ao abrigo do direito de resposta.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)