Um dos principais dirigentes da União Democrática Cristã (CDU), o partido de Angela Merkel, garantiu que a chanceler vai voltar a candidatar-se às próximas eleições e tentar um quarto mandato. Em entrevista à CNN, Norbert Roettgen afirmou, de forma contundente, que “ela vai candidatar-se a chanceler”, mas um porta-voz de Merkel apressou-se a negar que já tenha sido feito qualquer anúncio de uma decisão por parte da chanceler.

Angela Merkel tem mantido uma enorme expectativa sobre se irá ou não tentar dar continuidade à governação na maior economia europeia. Criticada por alguns pela sua gestão da crise dos refugiados, Merkel continua a aparecer como favorita para ganhar as eleições de 2017 caso decida avançar. Na cabeça de Norbert Roettgen não existem dúvidas que Merkel vai avançar, apesar de não clarificar exatamente em que se baseia para dar isto como um dado adquirido.

Ela está absolutamente determinada, disposta e pronta para contribuir para fortalecer a ordem liberal internacional. Mas não podemos ver a chanceler, ou a própria Alemanha, como o último resistente”.

Para Roettgen, Angela Merkel é uma “pedra basilar desde conceito político de o Ocidente ser um grande interveniente global. Portanto ela vai candidatar-se, vai agir como um líder responsável”. Para que o Ocidente se mantenha como uma grande potência é necessário, contudo, “a participação do ator mais forte do Ocidente, ou seja, os Estados Unidos da América”, acrescentou o dirigente da CDU.

Citado por vários jornais, Steffen Seibert, porta-voz de Merkel, negou que já tenha sido tomada uma decisão sobre a recandidatura e garante que “a chanceler vai dizer, no momento oportuno, se vai ou não concorrer“.

Merkel e o seu partido têm tido resultados pouco animadores nas eleições estaduais realizadas nos últimos meses. Em Berlim, há dois meses, a CDU obteve apenas 17,6% dos votos, ao mesmo tempo que o partido euro-cético AfD entrou no parlamento estadual com uma votação de 14,2%.