Donald Trump vai deixar os seus negócios “na totalidade” para se focar na presidência dos EUA. O futuro líder dos Estados Unidos anunciou esta quarta-feira que irá dar uma conferência de imprensa com os seus filhos no próximo dia 15 de dezembro, onde divulgará o destino das suas empresas. Segundo um conjunto de tweets publicados esta manhã, Trump fala em “deixar os meus grandes negócios na totalidade, para me poder concentrar completamente em gerir o país”.

Reconhecendo que não pode, por lei, continuar a gerir as suas empresas enquanto é presidente, o presidente eleito dos EUA diz que é importante “não ter um conflito de interesses”. Por isso, irá deixar a gestão das suas empresas à família e avança que os documentos para a transição já estão a ser finalizados. “A Presidência é uma tarefa muito mais importante”, conclui.

Negócios devem passar para os filhos através de blind trust

O Politico já tinha noticiado que Trump iria deixar os seus investimentos aos filhos através de blind trust, um mecanismo utilizado para evitar os conflitos de interesses quando um empresário é eleito para um cargo político. A informação foi confirmada por um advogado de Trump, Michael Cohen.

De forma simples: a gestão dos ativos de Trump passa para os filhos, que fazem essa gestão de forma independente. Em teoria, Trump não pode, a partir do momento em que este mecanismo é ativado, interferir na gestão ou receber informações relativas ao estado das empresas. No entanto, está nas mãos de Trump terminar a utilização da blind trust a qualquer momento.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Anteriormente, no encontro que teve com jornalistas do New York Times, Trump tinha dito que não tencionava utilizar este mecanismo para evitar os conflitos de interesse. “A lei está totalmente do meu lado, ou seja, o presidente não pode ter um conflito de interesses”, afirmou, negando por várias vezes que iria vender as suas empresas.