A escolha de Steve Bannon para estratega e conselheiro sénior de Donald Trump na Casa Branca gerou controvérsia e poderá não ser um bom negócio para o portal de notícias Breitbart News, projeto que liderou antes de, em agosto de 2016, ter decidido integrar a estrutura de campanha do multimilionário na corrida à presidência dos Estados Unidos. A Kellogg é a mais recente marca a decidir suspender o investimento publicitário naquele site informativo e, tal como sucedeu noutros casos idênticos, justifica a opção por considerar que o projeto veicula o anti-semitismo e o racismo.

Citado pela Bloomberg, Kris Charles, porta-voz do fabricante de cereais de pequeno-almoço, explicou que a empresa colabora com os parceiros que compram espaço publicitário para garantir que o material promocional não é colocado em meios que revelem não estar “alinhados com os valores” da multinacional. Charles adiantou que a Kellogg procedeu, recentemente, a uma revisão da lista de sites onde os anúncios aos produtos da marca podem ser colocados e decidiu suspender a publicidade no Breitbart.com. “Estamos a trabalhar para retirar os nossos anúncios desse site“, garantiu o porta-voz, na sequência de queixas que a Kellogg recebeu de consumidores.

A decisão da Kellogg surge depois de outras marcas terem tomado a iniciativa de também suspenderem a colocação de anúncios no Breitbart. Na lista incluem-se empresas como a Allstate, Nest, EarthLink, Warby Parker e a SoFi, insensíveis a declarações de responsáveis do site que asseguram que o Breitbart “sempre condenou, e vai continuar a condenar, o racismo e o preconceito”, segundo as afirmações de Larry Soloy, presidente executivo do projeto.

CLEVELAND, OH - JULY 21: Stephen K. Bannon responds to a caller while hosting Brietbart News Daily on SiriusXM Patriot at Quicken Loans Arena on July 21, 2016 in Cleveland, Ohio. (Photo by Ben Jackson/Getty Images for SiriusXM) Stephen K. Bannon

Steve Bannon, o homem que afugenta investidores publicitários

A polémica e a perda de anunciantes não parece afetar o desempenho do site. Em outubro passado, alcançou mais de 19 milhões de visitantes únicos oriundos dos Estados Unidos, um crescimento superior a seis milhões em comparação com o mesmo mês de 2015, período durante o qual jornalistas do Breitbart tenham decidido afastar-se do projeto por considerarem que se tinha transformado num site para fãs de Donald Trump.

Steve Bannon é autor de declarações incendiárias. Uma das mais célebres declara que “a solução para o assédio de mulheres na Internet é simples: elas devem sair da Internet”. Outra refere que “os mecanismos de contraceção tornam as mulheres pouco atraentes e malucas”. Em 2012, com a morte por ataque cardíaco de Andrew Breitbart, Steve Bannon assumiu-se como herdeiro dos objetivos de Breitbart, outro empresário dos media que criticava a “imprensa liberal de esquerda” que, na sua opinião, dominava as notícias. Bannon viria a ser o criador e curador da Breitbart News, na altura assumindo o objetivo de criar o “Huffington Post da direita“.

A Kellogg está no ranking dos cem maiores investidores em publicidade do mercado norte-americano.