O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, considerou esta quinta-feira o cessar-fogo acordado para a Síria “uma oportunidade histórica” para pôr fim a quase seis anos de guerra no país, sublinhando que esta não deve ser desperdiçada. “Não se pode, de forma alguma, perder esta oportunidade. É uma oportunidade histórica”, declarou Erdogan numa conferência de imprensa em Ancara, ao lado do Presidente do Kosovo, Hashim Thaci.

É uma janela de oportunidade que se abriu e não deve ser desperdiçada“, insistiu o Presidente turco, no seu primeiro comentário sobre o acordo de cessar-fogo anunciado pelo Presidente russo, Vladimir Putin. Erdogan reafirmou que não foram incluídos “grupos terroristas” no acordo mediado pela Turquia e pela Rússia, que entrará em vigor esta quinta-feira à meia-noite.

O governante turco indicou igualmente que a Turquia prosseguirá a sua incursão na Síria contra o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) e os rebeldes curdos, iniciada há quatro meses.

A guerra contra os grupos terroristas, incluindo o Daesh, continuará com determinação até que a segurança dos nossos cidadãos esteja assegurada”, frisou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Sem nomear países, Erdogan disse que outros Estados com influência no terreno na Síria deveriam mostrar “a necessária sensibilidade” para garantir o cumprimento do cessar-fogo. O Presidente turco confirmou que o acordo de cessar-fogo foi alcançado após negociações entre representantes russos e a oposição síria em Ancara nas últimas semanas.

O responsável negou ainda que as conversações de paz mediadas pela Turquia e pela Rússia que deverão realizar-se na capital do Cazaquistão, Astana, depois de o cessar-fogo entrar em vigor pretendam rivalizar com o processo de Genebra, mediado pela ONU, afirmando que se destinam a complementar e apoiar essas conversações.