O Governo de Cabo Verde anunciou esta quarta-feira que vai disponibilizar, em 2017, cerca de 110 mil euros para aulas e atividades de música, dança e teatro para crianças e jovens carenciados, ao abrigo do programa “Bolsa de Acesso à Cultura”.

O programa, apresentado esta quarta-feira na cidade da Praia, pelo Diretor Nacional das Artes, Ivan Santos, destina-se a crianças e jovens dos quatro aos 16 anos, visando proporcionar-lhes o acesso a aulas ou oficinas de arte. Os apoios serão concedidos através de escolas artísticas privadas, associações ou organizações não-governamentais, mediante a apresentação de candidaturas às referidas bolsas.

Ivan Santos adiantou que muitas escolas artísticas cabo-verdianas trabalham diariamente de “forma precária e sem condições” e que muitas crianças querem frequentar atividades do ensino cultural, mas “não podem pagar uma mensalidade”. A “Bolsa de Acesso à Cultura” surge, por isso, para tentar colmatar estas falhas, mas também para fomentar um público cultural em Cabo Verde.

“Este programa visa também criar o público de amanhã. Não quer dizer que todas as crianças vão ser artistas, mas que pelo menos sejam um público crítico que possa consumir cultura”, disse Ivan Santos.

Acrescentou que o programa, que prevê maior sustentabilidade para as escolas artísticas, dando-lhe capacidade para receber mais crianças, irá também apostar no desenvolvimento do talento artístico dos alunos. A meta a atingir é a “massificação do ensino das artes” através do financiamento das propinas aos alunos de famílias com baixos rendimentos, disse por seu lado, Indira Gandhi, a responsável pelo programa.

Incentivar o consumo de cultura, despertar o interesse pela cultura e estimular atividades de iniciação artística para crianças e jovens que não têm acesso ao ensino das artes são outros objetivos do programa, que quer ainda contribuir para tirar as crianças das ruas, prevenindo “desvios comportamentais”. O programa arranca com apoio às atividades relacionadas com a música, dança e teatro, mas poderá vir a ser alargado a áreas como as artes criativas, artes plásticas, fotografia ou cinema.