Ao ler a ementa do novíssimo DownUnder os olhos resvalam de imediato para duas das entradas propostas: tártaro de canguru com caviar de trufa (9€) e crocodilo crocante com salada de rúcula e molho nahm jim (11€). Mas o objetivo de Justin Jennings, chefe e proprietário do primeiro restaurante australiano de Lisboa, aberto há menos de uma semana, não é apelar ao choque ou ao exotismo, apenas ser fiel à cozinha que gosta de fazer. “Chamamos-lhe cozinha australiana moderna, tem muitas influências asiáticas, especialmente da Indonésia, Tailândia e Japão”, descreve.

A imagem de um canguru que depois de saltar nas planícies australianas salta diretamente para a grelha — aqui também se servem os respetivos bifes — pode chocar muita gente. Principalmente aqueles que, durante a infância, desenvolveram algum carinho por figuras como o Skippy ou o Cangurik (belíssima oportunidade para recuperar o clássico “Uma árvore, um amigo”). Mas na Austrália são cada vez mais os chefes que não dispensam a sua carne, rica em ómega 3 e paupérrima em gorduras.

Justin Jennings é o chefe e proprietário do DownUnder. (foto: © Tiago Pais / Observador)

A especialidade de Justin é, porém, outra: os produtos do mar. Durante dois anos foi chefe do Whalebone Wharf, um restaurante em Port Macquarie, na costa sudoeste da Austrália, focado em peixe e marisco. E é da matéria-prima marítima que fala com mais entusiasmo. “O vosso peixe aqui é fantástico, recebo algum de Peniche e quando posso gosto de ir ao mercado a Setúbal.” E também o usa na carta, claro. Até segue um hábito bem português, num dos casos, o da sugestão de peixe do dia que varia conforme o que o mar trouxer. Serve-o com batatas esmagadas, milho e lima (18€).

Mas não foram o peixe nem o marisco nacionais que o fizeram mudar-se para Lisboa. Foi Sofia, a sua mulher portuguesa, natural de Cascais. “Conhecemo-nos na Austrália, em Brisbane, na altura ela estava a fazer um programa de intercâmbio.” Apesar de já ter visitado o país noutras ocasiões, Justin encarou a mudança permanente como uma oportunidade para ficar a conhecer o país de Sofia em profundidade. Com foco em três elementos: “As pessoas, a comida e o vinho”, enumera. E por falar em vinho: da garrafeira do DownUnder constam alguns de origem australiana, e que têm tido surpreendente aceitação entre os clientes. “Achei que as pessoas iam optar pelos vinhos portugueses, mas têm tido vontade de experimentar estes”, refere.

O nome DownUnder remete para a forma como eram conhecidas as colónias britânicas na Oceânia. Aqui faz duplo sentido, já que a área maior do restaurante fica precisamente na cave. Ou seja, down under. (foto: © Tiago Pais / Observador)

Quando aterrou em Portugal, há um ano e oito meses, já vinha com a ideia de abrir um restaurante na bagagem. “Com o turismo a crescer em Lisboa, achámos que era a altura ideal”, justifica. Enquanto as obras se foram desenrolando, foi fazendo jantares privados, que foram também uma forma de apresentar a sua cozinha. E teve também tempo para ir conhecendo alguns dos melhores produtos nacionais, como as manteigas da ilha do Pico, que usa no couvert do DownUnder: “Gosto muito delas, descobri-as num festival nos Açores em que participei.” Justin não põe de parte ir introduzindo outros produtos portugueses na ementa. “Mas sempre cozinhados de acordo com o que fazemos na Austrália”, assegura.

A carne não é um deles, pelo menos para já. “Vem toda da Austrália”, revela o chefe, explicando que em Portugal muitos dos cortes são feitos de uma forma que não potencia a sua qualidade. Além do supracitado bife de canguru, servem também entrecôte maturado (29€) e bife da vazia (23€). Nas sobremesas, o anfitrião destaca a pavlova (5€) com curd de maracujá e morangos. “É das poucas coisas que nos podemos orgulhar de ter inventado na Austrália”, afirma. Um neozelandês discordaria: a origem da sobremesa é reclamada pelas duas nações. O típico sticky date pudding (6,50€), um bolo de tâmara com molho butterscotch, praliné de macadâmia — outro produto australiano — e gelado de baunilha, também merece referência. E fotografia, para abrir o apetite.

Uma das sobremesas da casa é o clássico sticky date pudding, um bolo de tâmaras servido com gelado de baulinha, praliné de macadâmia e molho butterscotch.
(foto: © Tiago Pais / Observador)

Nome: DownUnder by Justin Jennings
Morada: Rua dos Industriais, 19-21 (São Bento), Lisboa
Telefone: 21 401 2967
Horário: De segunda a sábado, das 12h às 15h e das 19h às 23h30
Preço Médio: Ao almoço 17€ (menu executivo). Ao jantar, cerca de 30€
Site: downunder.pt; facebook.com/Downunderbyjustinjennings
Reservas: Aceitam