Uma inspeção do regulador dos transportes ao Metro de Lisboa revelou níveis baixos de pontualidade e frequência, apesar de concluir que não foram detetadas insuficiências substanciais no atendimento ao cliente. A inspeção da Autoridade Metropolitana de Transportes (AMT) foi realizada durante três dias em dezembro passado, e segundo os dados consultados pela TSF, a pontualidade nunca chega a ultrapassar os 65%, face ao horário indicado nos painéis eletrónicos, em nenhuma das linhas.

A pontualidade anda na casa dos 50% na maioria das linhas e dias, mas é mais baixa na Linha Azul com uma percentagem de 26% registada num dos dias analisados. É também nesta linha, a mais comprida do metro com 18 estações, que se verifica uma taxa de cumprimento dos intervalos anunciados mais baixa. A inspeção concluiu ainda que houve vários dias em que a oferta de comboios não cumpria os valores contratados com o Estado, no quadro da concessão do serviço público.

Rede do Metro de Lisboa

Em declarações à TSF, o presidente da AMT, João Carvalho, reconhece que os resultados de pontualidade e cumprimento de horários apontam para taxa baixar que justificam as muitas queixas apresentadas pelos clientes do metro. No entanto, assinala também que estas falhas não representam incumprimentos do contrato de serviço público atribuído pelo Estado, na medida em que este têm parâmetros muito pouco claros que, defende, devem ser alterados.