Mais um episódio na ‘novela’ Ivanka Trump/Justin Trudeau. Depois da fotografia viral em que a filha de Donald Trump foi ‘apanhada’ a olhar embevecida para o primeiro-ministro canadiano, há mais um fator para alimentar esta ‘(não) questão’.

Na noite de quarta-feira, Trudeau levou Ivanka a assistir a um espetáculo na Broadway, em Nova Iorque. O jornalista do New York Times, Michael Paulson, publicou imagens da noite passada no Twitter, mas não há nenhuma em que os dois não apareçam lado a lado. Numa delas, Ivanka está sentada na plateia ao lado de Nikki Haley, a embaixadora dos Estados Unidos na ONU, e ao seu lado um lugar vazio destinado, segundo o New York Times, a Trudeau.

O primeiro-ministro canadiano levou uma delegação de cerca de 600 pessoas para assistir ao espetáculo, incluindo 125 embaixadores na ONU, refere ainda o New York Times. Segundo a CBS, a mulher de Trudeau, Sophie Grégoire Trudeau, e o antigo primeiro-ministro canadiano, Jean Chrétien, também estavam na sala de espetáculos.

O musical “Come From Away” inspirou-se em factos verídicos de generosidade protagonizados por canadianos nos 11 de setembro. Nesse dia do atentado às Torres Gémeas, mais de 200 voos foram desviados para o Canadá, dos quais 38 aterraram no aeroporto de Gander. Nessa altura, a população da pequena cidade, com cerca de 10 mil habitantes, acolheu 6,600 passageiros que ficaram em Gander durante vários dias.

O New York Times interpreta o gesto de primeiro-ministro ao convidar a Ivanka Trump (que estava em representação oficial da Casa Branca, apesar de não ter qualquer cargo) como uma forma de promover as relações entre os dois países, apesar das diferenças nas políticas de Justin Trudeau e Donald Trump — em particular no que toca ao acolhimento de refugiados nos respetivos países.

Num discurso antes do início do musical, o primeiro-ministro canadiano afirmou que o espetáculo demonstra a amizade existente entre o Canadá e os EUA.

“O mundo tem a oportunidade de ver o que significa as pessoas apoiarem-se e estarem lá umas para as outras nos momentos mais difíceis”, acrescentou Trudeau.