Christopher Knight tinha apenas 20 anos quando decidiu largar tudo, pegar no carro e fugir para uma das florestas do Maine, nos Estados Unidos, sem nada planeado e apenas com o objetivo de se afastar da sociedade por uns tempos. Em 2013, e passados 27 anos de isolamento, foi preso por ter sido apanhado a roubar em acampamentos e tendas que se encontravam nos locais por onde foi passando, conta o The Guardian. Admitiu que a decisão de se afastar da sociedade foi motivada pelo facto de sempre ter tido pensamentos suicidas ao longo da vida e por nunca ter tido amigos, pelo menos tão próximos quanto ele desejava.

Não tinha nenhum amigo nem qualquer interesse e amizade pelos meus colegas de trabalho. Deixei de existir para toda a gente”, revelou Cristopher Knight.

Knight trabalhava há cerca de um ano na instalação de alarmes em casas e veículos quando tomou a decisão de abandonar a vida que tinha sem dar justificações a ninguém. Pegou no carro e viajou sozinho durante vários dias pela costa leste da América até o combustível o ter feito parar a meio de um local ainda desconhecido.

Christopher Knight na altura em que fugiu

Passou pela Flórida, Geórgia, Carolina do Norte e do Sul e pela Virgínia sem nenhum mapa nem bússola para se orientar, apenas com uma mochila, uma tenda, algumas peças de roupa e um pequeno kit de sobrevivência. Até que chegou ao Maine, região no nordeste dos EUA maioritariamente constituída por florestas e selvas. A partir daí, passava as noites escondido em cumes ou inclinações, mas nunca ficava muito tempo no mesmo sítio, não mais do que uma duas semanas. “Rapidamente perdi a noção de onde estava, mas não me importava muito”, admitiu.

A comida foi a sua maior preocupação. As florestas do Maine são vastas e extensas, mas no que diz respeito aos recursos alimentares não são generosas. A sua alimentação era feita à base de bagas, plantas e ervas e algumas vezes de peixes e outros animais que encontrava pelo caminho. Diz que chegou a passar fome muitas vezes, o que o levou a recorrer a outras opções: a roubar comida de acampamentos, tendas e casas nas zonas por onde ia passando. Estima-se que tenha feito mais de mil roubos antes de ser apanhado, no ano de 2013, altura em que teve de pagar uma multa de 1.500 dólares – aproximadamente 1.400 euros – e foi condenado a sete meses numa prisão local, segundo o Daily Mail.

A sua condenação gerou controvérsia e chegou a receber dezenas de visitas e cartas de apoio, incluindo a visita de uma mulher que o pediu em casamento.

Passados mais de quatro anos de ter cumprido pena, Christopher Knight voltou agora a ter um papel na sociedade, perto da família, e encontra-se a trabalhar numa fábrica de metal com a sua mãe, admitindo que já não está nos seus planos voltar ao estilo de vida que teve durante longos 27 anos.