Duas semanas depois de ter faltado à sessão em que estava convocada como testemunha, alegando não ter sido convocada, Fernanda Miranda voltou a não comparecer em Guimarães. A ex-mulher de Pinto da Costa foi convocada para depor no processo da Operação Fénix, mas pediu escusa.

Fernanda Miranda já tinha apresentado um requerimento para não testemunhar, justificando ser familiar de um dos arguidos — no caso, Pinto da Costa, à data dos acontecimentos. Os dois divorciaram-se recentemente. Após analisar o requerimento, o procurador e o juiz aceitaram a dispensa. A videoconferência, marcada para cerca das 10h da manhã, foi, por isso, cancelada.

Fernanda Miranda é testemunha no processo por, alegadamente, ter beneficiado de serviços de segurança privada, ou ter conhecimento de episódios em que tal aconteceu. A acusação menciona vários episódios. Num deles, Eduardo Silva, principal arguido e responsável pela empresa de segurança SPDE, terá ido buscar Fernanda a casa e acompanhou-a até a um jogo do F.C. Porto, no Estádio do Bessa.

O mega-julgamento começou em fevereiro, em Guimarães, e deverá prolongar-se durante vários meses. Em causa estão alegados crimes de associação criminosa, extorsão agravada, ofensa à integridade física qualificada, coação, detenção de arma proibida, tráfico e mediação de armas.