Francisco Seixas da Costa, ex-secretário de Estado pelo Partido Socialista (PS), diz que desafia os limites do “bom senso, da justiça e do ridículo” querer dar o nome de Cristiano Ronaldo ao aeroporto na Madeira. Seixas da Costa diz uma opção mais justa seria Alberto João Jardim, a “cara de uma imensa mudança positiva” que existiu nas últimas décadas na ilha.

“Sou testemunha presencial do modo como [Alberto João Jardim] soube lutar, junto do governo central mas, muito particularmente, junto das entidades europeias, pelos interesses da sua região, do seu esforço continuado e persistente, às vezes por meios menos ortodoxos, para obter tudo o que considerava necessário para a sua Madeira”. Este é um dos elogios que Seixas da Costa faz ao antigo presidente do Governo Regional, num post no Facebook.

O diplomata reconhece que muitas vezes se sentiu “chocado” com o “frequente autoritarismo” de Alberto João Jardim. Mas sublinha que “a Madeira contemporânea, com todas as suas desigualdades e fragilidades, está hoje a anos-luz da ilha pobre e subdesenvolvida que conheci nos anos 70”.

Seixas da Costa diz que sabe “bem que o que escrevo é polémico e desagradará a muitos dos meus amigos (e, infelizmente, agradará a muitos que prezo em não ter como tal)” mas deixa claro, “com total frontalidade e sem ambiguidades, que me chocaria muito menos que o nome de Alberto João Jardim fosse dado ao aeroporto da Madeira, em lugar do de Cristiano Ronaldo, cujas qualidades atléticas ficariam, com certeza, muito mais adequadamente consagradas num estádio ou outra instalação desportiva”.