Rádio Observador

Estados Unidos da América

Carolina do Norte quer revogar lei que proíbe transgéneros de escolherem WC

Congressistas da Carolina do Norte vão votar para revogar a lei que obriga transgéneros a irem à casa-de-banho destinada ao género com que nasceram.

Andreia Costa

A Carolina do Norte pode voltar a permitir que as pessoas transgénero escolham a casa-de-banho a que desejam ir. Desde março de 2016 que as pessoas transgénero estavam obrigadas a frequentar o WC do género com que nasceram. Os deputados daquele estado norte-americano têm agora nas suas mãos a possibilidade de repôr a liberdade de escolha.

O anúncio foi feito na quarta-feira pelos republicanos, que há muito que são defensores da ideia, conta o The Washington Post. A aprovação da lei gerou críticas entre os defensores dos direitos LGBTI e, desde que entrou em vigor, várias empresas abortaram planos de investimentos que tinham para o estado, vários artistas cancelaram espetáculos que tinham agendado e foram atrasados vários encontros desportivos.

A última polémica veio da National Collegiate Athletic Association (NCAA), que deu aos deputados estaduais até quinta-feira para alterarem a lei, caso queiram continuar a receber provas de atletismo das universidades norte-americanas na Carolina do Norte, até 2022.

A proposta foi efetivamente votada na quinta-feira, mas quando chegou à Câmara dos Representantes, os conservadores atrasaram a votação final para a próxima semana.

As organizações de ativistas dos direitos LGBTI não estão satisfeitos com o projeto que está a ser votado, porque acreditam que algumas das condicionantes aumentam a discriminação. Em causa está a cláusula que proíbe, durante três anos, os governos locais de promulgarem decretos de não-discriminação. Para eles, esse compromisso é insuficiente.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Racismo

A racialização da política é isto /premium

Rui Ramos
113

As democracias têm de tratar todos os cidadãos como iguais, com os mesmos direitos e obrigações, e ajudar os mais pobres e menos qualificados, sem fazer depender isso de "origens" ou "cores".

Brasil

Em nome do Brasil, peço desculpas /premium

Ruth Manus

Não, eu não elegi este governo. Mas o meu país o fez. Parte por acreditar na política do ódio, parte por ignorância, parte por ser vítima das tantas fake news produzidas ao longo do processo eleitoral

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)