O futebolista português Cristiano Ronaldo não vai pagar os 14,7 milhões de euros reclamados pelo fisco espanhol antes de ser ouvido em tribunal, disseram hoje à agência EFE fontes da Gestifute.

De acordo com a mesma fonte da empresa que agencia o avançado do Real Madrid, Ronaldo mantém a postura perante a acusação, contrariando notícias que davam conta da intenção do capitão saldar a alegada dívida fiscal, denunciada pelo Ministério Público de Espanha.

Recorde-se que, durante o dia de ontem, tinham chegado informações de Espanha, nomeadamente da Cadena Cope, que o jogador estaria disposto a pagar o valor reclamado de forma preventiva, até por forma de garantir mais uma atenuante caso seja punido com alguma pena. Em paralelo, a publicação recorda que, caso a juíza determinasse que houve mesmo delito sem que houvesse um acordo prévio, o jogador poderia enfrentar um cenário de prisão no julgamento.

Florentino Pérez falou, Cristiano Ronaldo gostou. Fim de novela, “amigos para siempre”

Em 13 de junho, o Ministério Público acusou o futebolista português de ter, de forma “consciente”, criado uma sociedade para defraudar o fisco espanhol em 14,7 milhões de euros. Em causa estão valores de 1,39 milhões em 2011, mais 1,66 milhões em 2012, a que se juntam 3,2 milhões em 2013 e 8,5 milhões em 2014.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na terça-feira, o tribunal de instrução de Alarcón, em Madrid, convocou Cristiano Ronaldo para depor a 31 de julho, no âmbito da acusação do Ministério Público.