A Arábia Saudita e os países aliados anunciaram esta segunda-feira a decisão de prolongar por mais 48 horas o ultimato feito ao Qatar para responder positivamente a uma lista de 13 exigências, a pedido do mediador do Kuwait na crise do Golfo.

De acordo com um comunicado publicado pela agência oficial saudita Spa, a Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos, o Bahrein e o Egito aceitaram prolongar o ultimato após o Qatar ter anunciado que vai entregar na segunda-feira, ao emir do Kuwait, a sua resposta às exigências apresentadas.

Na lista de exigências consta o encerramento da televisão Al Jazeera e de uma base militar turca, além da limitação das relações com o Irão. A 5 de junho, Arábia Saudita, Egito, Emirados Árabes Unidos e Bahrein cortaram relações diplomáticas com o Qatar, que acusaram de apoio ao terrorismo, na mais grave crise regional desde a guerra do Golfo de 1991.

Posteriormente, numa lista de 13 pontos – apresentada ao Qatar pelo Kuwait, que está a ajudar a mediar a crise -, os países exigiram o encerramento da televisão Al Jazeera, de uma base militar da Turquia no Qatar e uma redução das ligações diplomáticas com o Irão. Os quatro países exigiram ainda que Doha corte quaisquer contactos com a Irmandade Muçulmana e com outros grupos fundamentalistas islâmicos como o xiita Hezbollah, a Al-Qaida e o Estado Islâmico.