Apesar da tragédia de Pedrógão e do assalto aos paióis de Tancos, o Partido Socialista subiu nas intenções de votos dos portugueses e afastou-se ainda mais do PSD, segundo o barómetro deste mês da Eurosondagem para o Expresso e a SIC. Já o primeiro-ministro, António Costa, perdeu popularidade.

Se as eleições fossem hoje o PS alcançaria 40,4% dos votos, mais 0,4 pontos percentuais do que no mês anterior, e mais 11,8 pontos percentuais que o PSD que caiu 0,4 pontos percentuais, para os 28,6%. À semelhança do Partido Socialista, só a CDU subiu nas intenções de voto (+0,3 pontos percentuais) para os 7,8%. Bloco caiu 0,1 pontos para os 8,5% e o CDS desceu 0,2 pontos percentuais para os 6,2%.

Quanto aos líderes de cada um dos partidos, todos perderam popularidade face ao mês anterior. O primeiro-ministro António Costa caiu 0,6 pontos percentuais. Mesmo assim foi o que caiu menos e continua à frente de todos os outros líderes partidários, com 34,2 pontos. Quem mais desceu (-2,3 pontos percentuais) foi a líder do Bloco, Catarina Martins, para os 3,9 pontos. Assunção Cristas caiu 1,1 pontos, para os 7,7; Passos Coelho, do PSD, desceu 0,8 pontos para 10,3 e Jerónimo de Sousa, da CDU, caiu 0,7 pontos para 11,6.

Ao nível da popularidade, só mesmo o Presidente da República ganhou pontos: +0,3. Mantém-se assim no topo da pirâmide da popularidade, com 60,9 pontos.

Participaram neste inquérito telefónico, que decorreu entre 28 de junho e 5 de julho, 1.008 indivíduos.