Coreia do Norte

EUA podem ficar “reduzidos a cinzas”, diz jornal norte-coreano

712

O jornal estatal norte-coreano diz que o território norte-americano pode ficar "reduzido a cinzas" com os comportamentos do país. A tensão entre as duas nações continua a escalar.

HOW HWEE YOUNG/EPA

O jornal oficial do governo norte-coreano considera que os comportamentos “imprudentes e histéricos” dos Estados Unidos podem reduzir o país “a cinzas a qualquer momento”.

É uma tragédia que os comportamentos imprudentes e histéricos possam reduzir o território dos Estados Unidos a cinzas a qualquer momento”, refere o jornal jornal Rodong Sinmun, citado pela agência oficial agência de notícias da Coreia do Norte KCNA .

O jornal refere que os EUA estão “ansiosos” e “aterrorizados” depois de os últimos testes com mísseis por parte do regime de Pyongyang terem sido bem sucedidos. Diz ainda que Trump deu ordens para fossem aumentadas as medidas de segurança no território norte-americano, acrescentando que o Presidente dos Estados Unidos não descartou a possibilidade de uma guerra e que, se ela viesse mesmo a acontecer, “seria travar na península coreana”.

Relativamente às sanções impostas pelas Nações Unidas, no início do mês, relativamente aos testes com mísseis realizados no mês passado, o jornal norte-coreano acusa os Estados Unidos de “pressionar” os países vizinhos da Coreia do Norte.

Lê-se ainda que é a “firme vontade” do regime de Pyongyang em “pôr fim aos movimentos hostis dos Estados Unidos”, que têm provocado “sofrimento” ao povo norte-coreano.

“Os Estados Unidos e os seus súbditos vão pagar caro pelas mais duras sanções e pelas provocações militares contra a República Popular Democrática da Coreia.”

A tensão entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte tem vindo a aumentar de dia para dia, com uma troca de ameaças entre o líder norte-coreana Kim Jong-un e Donald Trump. Mais recentemente, Pyongyang ameaçou um ataque contra a ilha de Guam em meados de agosto.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rporto@observador.pt
Imigração

A política da miragem /premium

Helena Matos

Nos anos 70 trauteavam “A África é dos africanos." Agora se pudessem despovoavam essa mesma África para através da imigração alimentarem o activismo do ressentimento.

Imigração

Os “anti-fascistas” histéricos /premium

João Marques de Almeida

Sendo a imigração o maior problema da Europa, desafio os “anti-fascistas” de pacotilha a olhar para as políticas anti-imigração de Macron antes de chamarem fascistas a Salvini e ao chanceler austríaco

Imigração

A política da miragem /premium

Helena Matos

Nos anos 70 trauteavam “A África é dos africanos." Agora se pudessem despovoavam essa mesma África para através da imigração alimentarem o activismo do ressentimento.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)